Frente Popular convoca sócios do Vitória para realização de AGE

Assembleia Geral Extraordinária votará alteração estatutária e destituição do presidente Paulo Carneiro. Por Mário Pinho


Publicado no Arena Rubro-Negra

Foto: Mário Pinho/Arena Rubro-Negra

A Frente Vitória Popular lançou neste domingo (18) uma campanha voltada aos sócios do Vitória para exigir da presidência do Conselho Deliberativo a convocação de duas Assembleias Gerais Extraordinárias (AGE), sendo uma para a reforma do estatuto do clube e outra para a destituição do Conselho Diretor e Fiscal e novas eleições suplementares.

Os sócios adimplentes e com mais de 18 meses de vinculação ao Sou Mais Vitória podem acessar o documento através do site da FVP (clique aqui). Ele precisa ser baixado, impresso e assinado para ter validade. Na página o grupo também enumera pontos para a entrega espalhados por Salvador e outras cidades.

Entenda as exigências

No requerimento que será enviado ao presidente Fábio Mota, o grupo de conselheiros lembra que a última AGE, realizada em 31 de março de 2019 e que determinou a abreviação do mandato de Ricardo David e a realização de novas eleições (oportunizando a reeleição de Paulo Carneiro), também determinou a votação de uma reforma estatutária que daria ao Conselho Deliberativo mais poderes de fiscalização sobre o Conselho Diretor.

Esse novo encontro estava marcado, inicialmente, para 01 de setembro de 2019, e desde então vem sendo adiado “com base em justificativas sem respaldo legal e estatutário, e sem a indicação de uma nova data”, conforme diz a Frente Popular. A realização desta AGE é a primeira exigência do grupo.

AGE realizada em 31 de março de 2019. Foto: Mateus Barbuda / Arena Rubro-Negra

Já a segunda Assembleia, a ser realizada imediatamente após esta primeira, de acordo com o requerimento da FVP, visa a destituição do mandato do presidente Paulo Carneiro, de seu vice, Luiz Henrique, e do Conselho Fiscal, presidido por Jaílson Reis. Para tal, os conselheiros utilizam os seguintes argumentos:

  • A recusa do Conselho Fiscal do Esporte Clube Vitória de exercer suas funções de forma independente, ferindo o estatuto do Clube e desrespeitando a Lei nº 13.155/15 (PROFUT), colocando o Esporte Clube Vitória em situação de possível exclusão do PROFUT, por força do art. 4º, III1 da referida lei;

  • O relatório elaborado pela Comissão Especial que identificou obstruções e negligências por parte dos conselhos Fiscal e Diretor do Clube e os fortes indícios de gestão temerária, afrontando assim o art. 18 do Estatuto Social do Esporte Clube Vitória;

  • Os constantes atos desrespeitosos e ameaças direcionados aos sócios e torcedores do Esporte Clube Vitória perpetrados pelo então presidente do Conselho Diretor, o Sr. Paulo Carneiro;

  • Os resultados insatisfatórios em todas as modalidades esportivas disputadas pelo Esporte Clube Vitória, ficando mais do que provada a incapacidade técnica de gerir o clube.

A convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária é direito do sócio torcedor adimplente e com mais de 18 meses de vínculo ao Sou Mais Vitória, previsto pelo art. 8º, III e art. 29, II do estatuto social Esporte Clube Vitória.