Grupo de sócios do Vitória faz mobilização pedindo Assembleia Geral e destituição de Paulo Carneiro

Presidente rubro-negro emitiu nota no site do clube atacando o grupo; protesto aconteceu em frente ao Barradão nesta terça (20). Por Vinícius Nascimento


Publicado no Correio

Um protesto aconteceu nesta terça-feira (20) em frente à Concentração Vidigal Guimarães, no Barradão. Membros da Torcida Uniformizada Os Imbatíveis (TUI) e torcedores independentes pedem a saída do presidente Paulo Carneiro do Conselho Diretor do Vitória. O protesto é pacífico e acompanhado de uma guarnição da Polícia Militar. Há registros de uma pequena aglomeração no protesto, que é realizado por cerca de 100 manifestantes.

A ação acontece dois dias depois da Frente Popular Vitória (FVP), grupo formado por torcedores e sócios do Vitória lançarem uma campanha exigindo a convocação de duas Assembleias Gerais Extraordiárias (AGE): uma para aprovar uma reforma no estatuto atual do Vitória e outra para destituir o atual presidente do clube, Paulo Carneiro, e convocar novas eleições diretas para presidente. O grupo alega que o Vitória enfrenta, além da crise institucional, sérios problemas esportivos e vem tendo a sua imagem e história comprometida com campanhas ruins e de briga contra o rebaixamento da Série B. Além disso, o grupo alega sucateamento das divisões de base e do futebol feminino.

A FVP está convocando sócios adimplentes do Leão com mais de 18 meses de vínculo para assinar um manifesto. As assinaturas estão sendo coletadas para, posteriormente, serem enviadas ao presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Fábio Motta. A manobra é semelhante à utilizada em 2019 durante o mandato do então presidente Ricardo David.

"Estamos num processo com diversas movimentações desde o início dessa gestão. Tentamos requerimentos, ações do conselho e não conseguimos. Tínhamos programada uma AGE de Reforma do Estatuto desde 2019, que foi impedida de acontecer pelo presidente do Conselho Deliberativo, além de um esvaziamento feito por conselheiros da situação", afirmou Daniel Caribé, um dos 28 conselheiros da FVP - menor grupo dentro do conselho do Leão, que tem 150 membros.

Presidente do Vitória, Paulo Carneiro emitiu uma nota no site oficial do clube criticando a ação. O presidente afirma que foi eleito democraticamente e não vai renunciar ao cargo.

"Não acreditem Senhores Torcedores, Senhoras Torcedoras, que a solução para o engrandecimento do Esporte Clube Vitória resida nestas tentativas desesperadas de tomada do poder. A resposta para os problemas do Clube não passa pela sua constante instabilidade política, mas por projetos viáveis, que contemplem, não apenas contratações fabulosas sem a correspondente receita e que terminem trazendo para a Instituição os problemas que temos hoje", escreveu Paulo Carneiro.

No texto, o presidente também cita o caso do Flamengo, atual bicampeão brasileiro, como referência para manter a gestão. " "O Flamengo passou cerca de cinco anos se reestruturando, quase falido, mas com um projeto que, atualmente, a todos encanta. Não se permitiu, lá, que as pressões por um resultado em campo destruíssem um futuro. Criticaram muito o seu Presidente [Bandeira de Mello] à época, protestaram, mas ele não cedeu. E no que resultou a perseverança em um projeto?!?!", afirma a nota.

A FVP estima que 450 assinaturas no manifesto sejam necessárias pra que a AGE seja convocada pelo presidente do Conselho Deliberativo. A primeira estimativa aponta que cerca de 200 assinaturas de sócios foram coletadas.

Ao CORREIO, o conselheiro Daniel Caribé afirmou que caso o grupo não consiga a convocação das duas AGE's, o grupo vai para a Justiça pedir uma intervenção no Vitória. O grupo já havia entrado na justiça contra a taxa de R$1200 cobrada anualmente aos conselheiros.

  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook