Moção de Repúdio ao Presidente do Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória

Pela indevida e lamentável utilização do cargo para a promoção de interesses pessoais, de índole político-partidária.


URGENTE

Senhor Presidente,

A FRENTE VITÓRIA POPULAR (FVP), coletivo integrado por torcedores do Esporte Clube Vitória, sócios e não-sócios, que constituiu chapa inscrita para preenchimento dos cargos do Conselho Deliberativo, Conselho Gestor e Conselho Fiscal do Esporte Clube Vitória nas eleições para o triênio (2023/2025), com endereço eletrônico de ecvpopular@gmail.com, tendo alcançado 35,30% dos votos ao Conselho Deliberativo (53 cadeiras) e 26,38% dos votos válidos para o Conselho Fiscal (2 vagas), também integrada por membros da atual composição do Conselho Deliberativo do Esporte Clube Vitória, neste ato representando todos os seus integrantes, apresenta


MOÇÃO DE REPÚDIO


ao Presidente do Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória - recentemente eleito para o mandato de Presidente do Conselho Diretor no triênio 2023/2025 -, pela indevida e lamentável utilização do cargo para a promoção de interesses pessoais, de índole político-partidária, valendo-se de sua posição para produzir em suas redes sociais vídeo de apoio ao candidato ao cargo de Governador do Estado ACM Neto, nas eleições do ano em curso, inclusive concitando os associados a seguirem sua orientação partidária, supostamente em troca de melhor atenção do Poder Estadual ao Clube. Como é de conhecimento público, o Sr. Fábio Mota tem histórica participação político-partidária no Estado da Bahia, relacionada ao grupo político ao qual fez questão de manifestar apoio na condição de Presidente do Esporte Clube Vitória. Ainda que não seja desejável ter no posto mais elevado da administração do ECV pessoa cuja atenção está dividida (senão prioritariamente voltada) com interesses político-partidários - como é inegavelmente o caso -, este fato, por si só, não deslegitima a escolha democrática conduzida pelos sócios-torcedores que o elegeram ao cargo de Presidente do Conselho Gestor.

Contudo, ao menos nas últimas 8 (oito) semanas, tem se comprovado a manifesta utilização e aparelhamento do Clube com fins político-partidários: seja com a disponibilização dos dados dos associados para envio de mensagens de candidatos aos cargos objeto das próximas eleições gerais, seja com a autorização de utilização dos espaços e estruturas do clube para afixação e presença de propagandas políticas, seja pela distribuição de materiais de campanha eleitoral em dias de eventos oficiais.

Tal comportamento inadequado restou por culminar no impensável e inadmissível ato de campanha eleitoral em favor do candidato apadrinhado pelo Sr. Fabio Mota, que, sem pudor ou preocupação com a higidez da relação interinstitucional do ECV, viu por bem praticar o disparate de produzir verdadeira peça publicitária em favor do candidato ACM Neto, em vídeo rapidamente multiplicado nas redes sociais, no qual, sem quaisquer receios, desvela o escárnio com a imagem do Clube e com a responsabilidade própria do titular do seu cargo e, trajando uniforme oficial do Esporte Clube Vitória, em alto e bom som, propaga pedido de voto dos torcedores do clube em favor de candidato em particular, “por ser o melhor para o Vitória”.

Não fosse apenas a inábil iniciativa de gerar a (falsa) impressão de comprometimento institucional com grupo político específico antes mesmo de ultimado o pleito eleitoral, o Sr. Fábio Mota agiu premeditadamente em favor de seus asseclas, tentando associar a presença dos torcedores em evento festivo oficial do Clube à demonstração de apoio ao candidato de sua predileção.

Com essa conduta, mais uma vez o mandatário recém-eleito demonstra desconhecer a história e pluralidade da imensa torcida do Esporte Clube Vitória, formada por pessoas dos mais diferentes segmentos da sociedade, inclusive quanto à visão política.

Tentou nivelar um universo de mais de 3 milhões de pessoas ao ultrapassado ímpeto de tanger a fantasiosa manada que supõe conduzir. Longe disto! Somos plurais e democráticos! Não serão admitidas quaisquer intervenções dessa natureza em tempos de Esporte Clube Vitória democrático.

É por esta razão que a Frente Vitória Popular vem apresentar ao Conselho Deliberativo MOÇÃO DE REPÚDIO pela estapafúrdia ação do Presidente do Conselho Diretor, em descumprimento ao Estatuto Social do Esporte Clube, em especial ao art. 77, inciso I, que impõe o dever de fortalecer a imagem institucional do VITÓRIA e zelar por ela permanentemente.

Por fim, requer a Frente Vitória Popular que seja recomendado ao Presidente do Conselho Gestor, por ofício, a abstenção de quaisquer atos de apoio político-partidário a quaisquer candidatos, especialmente nos eventos institucionais públicos, assim como que divulgue, com máxima brevidade, retratação pública pelo ato ora objurgado, por meio de alcance social igual ou superior àquele que de que se valeu para a prática de infração estatutária.

É o que solicitamos, sem prejuízo das medidas legais pertinentes.

Salvador, 30 de setembro de 2022.

FRENTE VITÓRIA POPULAR

FVP - Mocao de Repudio - Indevida utilizacao politico-partidaria do ECV
.pdf
Download PDF • 95KB

  • Twitter
  • Instagram
  • Facebook