Promessa de mudanças na Comissão Eleitoral

Todas as promessas e garantias precisam ser realizadas com urgência, regularizando e moralizando o processo eleitoral no Vitória.


Hoje, 5 de setembro, após denúncias feitas pela Frente Vitória Popular, os candidatos a presidente e vice de todas as chapas participaram de uma reunião emergencial no Barradão tendo por pauta única: encaminhamentos e definições acerca da Comissão Eleitoral.


Nessa reunião foi decidido, e garantido pelo atual presidente do Conselho Deliberativo (Nilton Almeida), após reconhecer o seu erro, que o novo presidente da comissão eleitoral será o conselheiro com maior tempo de associação, conforme exige o estatuto em caso de impossibilidade do presidente e vice-presidente do Conselho Deliberativo.


O presidente do Conselho Deliberativo também garantiu que os pedidos de impugnação serão apenas analisados pela nova comissão eleitoral, a fim de garantir julgamentos justos.


Saímos da reunião também com a promessa de renúncia dos atuais membros da atual comissão eleitoral, e agora concorrentes ao pleito do dia 17/09, moralizando a situação.


Outra garantia é a de que a nova composição da comissão eleitoral será formada por sócios do Vitória que não estão inscritos em nenhuma das chapas e nem ocupam cargos hoje no clube.


Porém, alertamos não haver nenhuma garantia de que a nova comissão eleitoral será formada pelos indicados dos grupos eleitos para o atual Conselho Deliberativo ou mesmo pelos indicados pelas chapas inscritas. E, após recomposta, se será referendada pelo Conselho Deliberativo.


No nosso entendimento, as promessas e garantias, caso confirmadas, são insuficientes para sanar o amotoado de irregularidades praticadas até então pela comissão eleitoral. Além delas, os representantes das chapas precisam ter acesso aos:


- Referendos (no mínimo 100 por candidato), Planos de Gestão e certidões dos candidatos ao conselho gestor;


- Termos de adesão dos candidatos aos conselhos deliberativo e fiscal;


- Pedidos de impugnação protocolados até então.


Em outras palavras, a comprovação de entrega de documentos obrigatórios para todos os candidatos não pode continuar restrita aos membros da comissão eleitoral, e os Planos de Gestão devem ser disponibilizados para todos os torcedores.


Por fim, afirmamos que todas as promessas e garantias precisam ser realizadas com urgência, regularizando e moralizando o processo eleitoral no Vitória, reduzindo assim os riscos de judicialização e paralisação das eleições, prejudicando a todos, especialmente a instituição Esporte Clube Vitória.


Eleições justas, transparentes, democráticas e profissionais, já!

  • Twitter
  • Instagram
  • Facebook